O exoplaneta mais escuro terá uma morte rápida

exoplaneta
FOTO: NASA, ESA e G. Bacon / STScI


Cientistas da Universidade de Princeton estudaram um exoplaneta chamado WASP-12b e concluíram que ele deixará de existir mais rápido do que o esperado. É um gigante gasoso que orbita uma estrela semelhante ao Sol a 1.410 anos-luz da Terra, de acordo com o The Astronomical Journal.

O planeta está localizado muito perto da estrela. Ele faz uma revolução completa durante um dia terreno. As observações mostraram que a estrela está constantemente puxando fluxos de matéria de sua atmosfera.

Os cientistas também notaram que o WASP-12b é muito escuro, absorvendo 94% da luz incidente nele. Provavelmente, isso se deve ao aquecimento extremo. A temperatura do lado "diurno" chega a 2.600 graus Celsius, as moléculas de hidrogênio se dividem em hidrogênio atômico e o planeta começa a se comportar como uma estrela de baixa massa. Mas como está muito quente, ele brilha na faixa do infravermelho.

Estudos anteriores previram que o planeta viverá mais 3,25 milhões de anos. Mas novas observações feitas com o telescópio TESS mostraram que a órbita do WASP-12b é rapidamente distorcida. Segundo dados atualizados, a morte do planeta ocorrerá em 2,9 milhões de anos.

O planeta WASP-12b pertence à classe "Júpiteres quentes". De acordo com os modelos modernos de formação de planetas, tais corpos não deveriam existir - gravidade, radiação e ventos estelares intensos, em teoria, evitam que as moléculas de gás se juntem. Mas os astrônomos já descobriram várias centenas desses objetos.

Seja como for, os "Júpiteres quentes", que estão próximos de suas estrelas, estão entre os exoplanetas mais estudados. Eles podem nos dizer muito sobre as interações de maré entre um planeta e uma estrela.

Postagem Anterior Próxima Postagem