Os vestígios mais antigos de alucinógenos encontrados em uma caverna da Califórnia

caverna da Califórnia
FOTO: MTRK "MIR" / Allan Sebetov


Arqueólogos confirmaram que os povos indígenas da América consumiam plantas alucinógenas. Os primeiros vestígios de seu uso foram encontrados em uma caverna chamada Pinwheel (traduzido como "spinner" ou "whirligig") no sul da Califórnia, de acordo com PNAS .

Nas paredes da caverna, gravuras rupestres com uma representação esquemática da flor sagrada da droga, ou Datura wrightii, são preservadas. É uma planta perene com propriedades psicoativas.

Nas fendas do teto da caverna, foram encontrados os restos das folhas e fibras da planta, que deveriam ser mastigadas. A análise química mostrou que eles contêm alcalóides alucinógenos (atropina e escopolamina). Os restos de plantas datam de 1530-1890 anos.

Os cientistas acreditavam que as tribos antigas realizavam rituais com substâncias alucinógenas em cavernas decoradas com pinturas rupestres. Mas não havia nenhuma evidência clara disso - até recentemente.

A descoberta da caverna Pinwheel revela novos insights sobre a vida das tribos nativas da América. Estudos mostraram que a tribo Chumash que vivia nesses lugares usava substâncias psicoativas não apenas para fins rituais, mas também "para curar, neutralizar espíritos malignos, adivinhar a sorte e até mesmo procurar objetos perdidos".

As pessoas se retiravam para uma caverna, mastigavam folhas e caules de plantas e depois os colavam no teto, como os modernos fazem com chiclete. A imagem da flor da droga estava obviamente associada a esse ritual.

Mas, como os estudos mostraram, a caverna era usada não apenas para cair em transe. Pontas de flecha também foram encontradas lá - tribos locais fabricavam armas, armazenavam alimentos e cozinhavam no fogo.

Postagem Anterior Próxima Postagem