Os dinossauros ornitorrincos eram marinheiros

dinossauros ornitorrincos
FOTO: Wikipedia

No Marrocos, descobriu os restos mortais de um dinossauro ornitorrinco com bico de pato que viveu há 66 milhões de anos. 
Para chegar lá, ele teve que viajar 250 milhas (mais de 400 km) através do oceano aberto, dizem os cientistas.

Os ossos fossilizados foram observados por paleontólogos da Universidade de Bath, explorando a área rochosa. O dinossauro foi chamado de Ajnabia odysseus. A primeira palavra traduzida do árabe significa "estranho", e a segunda "Odisseu" é uma referência ao herói mitológico.

Sabe-se que dinossauros de bico de pato (hadrossauros) surgiram na América do Norte. Seus vestígios também foram encontrados na Europa e na Ásia, mas nunca até recentemente - no continente africano, relata a Cretaceous Research .

No Cretáceo, a África foi cercada por água por todos os lados. Estudos têm mostrado que naquela época não havia pontes de terra entre ele e outros continentes adequados para a migração animal.

“A geologia nos diz que a África foi isolada pelos oceanos. Se for assim, só chegará pela água ”, concluíram os autores do trabalho científico.

Os cientistas não conseguiram estabelecer de onde veio o dinossauro ou quanto tempo levou para nadar. Mas eles tendem a pensar que ele era um "nativo" da Europa. Mesmo supondo que o nível do mar estivesse abaixo do moderno, Ajnabia odysseus teria que viajar uma distância enorme.

A pesquisa mostrou que a espécie pertencia à subfamília Lambeosaurinae. Uma característica distintiva de seus representantes eram cristas ósseas intrincadas na cabeça. Os dinossauros tinham membros traseiros poderosos e caudas grandes, o que aparentemente os ajudava a flutuar bem.

Os cientistas notaram que as migrações marítimas de longa distância eram raras, mas não exclusivas entre as criaturas vivas antigas. Esta é a única maneira de explicar o aparecimento de lêmures e hipopótamos em Madagascar e de macacos e roedores africanos na América do Sul. Mas os dinossauros, acreditava-se, não eram capazes disso. Ajnabia odysseus é a primeira espécie conhecida a cruzar o oceano.

“Isso reforça a raridade de nosso achado e, portanto, sua importância”, notaram os autores do trabalho científico.


Postagem Anterior Próxima Postagem