Como Caravaggio, Dali e outros grandes artistas retrataram a Paixão de Cristo em suas pinturas

Paixão de Cristo
Pinturas famosas retratam "A Paixão de Cristo"

Jesus Cristo é talvez a figura mais famosa que existiu na história humana. Muitos pintores e escultores tentaram capturar suas imagens. Vários mestres queriam isso para elevar sua espiritualidade, enquanto outros queriam inspirar seguidores de Cristo criando uma conexão visual com ele. Independentemente da intenção, a história mostra que muitos grandes artistas produziram obras de arte visualmente impressionantes e atemporais baseadas na Paixão de Cristo. Esses gráficos serão discutidos no material.

A história dos acontecimentos da última semana de Cristo na terra (A Paixão de Cristo) foi um tema popular na pintura italiana. Ao contrário das histórias associadas ao nascimento de Cristo, os episódios da Paixão são coloridos com emoções mais sombrias e dolorosas (culpa, pena, dor). Os artistas se esforçaram para transmitir toda a gama de sentimentos complexos e sofridos. Aliás, com isso eles também apoiaram o trabalho dos teólogos, que exortavam os crentes a se identificarem com Cristo em seu sofrimento, para que também pudessem compartilhar sua exaltação. Segundo o Evangelho, a morte de Cristo ocorreu em Jerusalém, onde foi celebrar a Páscoa com os seus discípulos. A este respeito, vale a pena considerar primeiro as tramas da Última Ceia.


"A Última Ceia" de Ugolino di Nerio

"A Última Ceia" de Ugolino di Nerio
Museu Metropolitano de Arte de Ugolino di Nerio "A Última Ceia", Nova York / Foto: artcyclopedia.com

O artista italiano Ugolino di Nerio criou todo um ciclo de obras sobre a Paixão de Cristo. Aqui está sua "Última Ceia", na qual Cristo partiu o pão e compartilhou o vinho em antecipação de sua morte, e assim estabeleceu o ritual cristão de comunhão. O painel da predela mostra uma mesa paralela ao plano do céu. Atrás dele estão as pupilas, localizadas ao longo de dois lados longos. Na extrema esquerda está Cristo. A perspectiva reflete uma representação clara e rítmica da comida na mesa, bem como dos rostos e gestos característicos de cada aluno. A imagem está repleta de sacramentalidade do evento futuro.


"Traição de Cristo" por Bartolomeo di Tommaso

Traição de Cristo Bartolomeo di Tommaso
Bartolomeo di Tommaso "Traição de Cristo" Itália, antes de 1425 / Foto: artcyclopedia.com

“A Traição de Cristo” é um dos momentos mais dramáticos da história da Paixão. A versão escrita por Bartolomeo di Tommaso no painel de predella mostra uma perturbadora mistura de gentileza e crueldade no episódio em que Judas, um discípulo de Jesus, o cumprimenta com um beijo e o entrega a uma gangue de homens armados.


"Cristo carregando a cruz" El Greco

Cristo carregando a cruz El Greco
"Cristo carregando a cruz" por El Greco, 1578

"Cristo carregando a cruz" é uma famosa pintura de El Greco, que retrata Jesus Cristo com uma coroa de espinhos na cabeça. Ele carrega a cruz na qual mais tarde morrerá e será ressuscitado. Jesus Cristo é representado sem dor e sofrimento, o que torna esta obra de arte verdadeiramente transcendental. Nesta foto, El Greco esperava transmitir o amor sobrenatural de Jesus Cristo, e não a dor que ele está sentindo. Jesus Cristo olha para cima nesta gravura, mostrando que seus pensamentos estão focados em imagens superiores. Tecnicamente, El Greco demonstrou seu uso perfeito de cores suaves e um domínio absoluto de maneirismo com suas telas.


"A crucificação" de Pietro Lorenzetti

A crucificação Pietro Lorenzetti
Afresco de Pietro Lorenzetti "A Crucificação". 1320 Igreja de San Francesco, Assis

O ponto culminante da história da Paixão é a própria crucificação. As pinturas sobre este tema pretendiam estimular a reflexão sobre o auto-sacrifício de Cristo. O enredo demonstra todo o poder do sofrimento. A figura de Cristo raramente é distorcida e seu corpo nu é muitas vezes idealizado e baseado mais em conceitos clássicos. A cruz pode envolver muitas outras figuras, que muitas vezes se distinguem pela expressividade. Em um pequeno altar de Pietro Lorenzetti, Cristo é crucificado entre dois outros personagens. A Virgem Maria em primeiro plano perde a consciência e muitas figuras (algumas com roupas orientais, outras com armaduras romanas) olham atenta e insensivelmente para Cristo.


"Cristo de São João da Cruz" Salvador Dali

Cristo de São João da Cruz, Salvador Dali
Cristo de São João da Cruz, Salvador Dali (1950-1952)

Salvador Dali era conhecido por sua abordagem surreal moderna da arte. "Cristo de São João da Cruz" não é exceção. No entanto, apesar da curiosa interpretação da trama por Salvador Dali, o espectador descobrirá que a mensagem de "Cristo de São João da Cruz" é extremamente semelhante à mensagem das pinturas do Renascimento. O pathos e o drama da imagem são atemporais. Esta famosa obra de arte moderna retrata Jesus Cristo em uma cruz abstrata, enfatizando o fato de que não é a cruz em si que é importante, mas a pessoa. Salvador Dali argumentou que a imagem apareceu para ele em um sonho e deveria representar o núcleo, que era Cristo.


"Cristo Crucificado" Velazquez Diego

Cristo Crucificado Velázquez Diego
"Cristo Crucificado" por Velázquez Diego, 1632

“Cristo Crucificado” é a visão profunda e transcendental de Velázquez dos últimos momentos da vida de Jesus Cristo antes de seu renascimento. Jesus Cristo é representado em uma cruz sobre um espaço negro sem fundo. A imagem da crucificação de Cristo permite ao espectador contemplar este momento sem distrações ou acréscimos. O minimalismo memorável da obra enfatiza um momento específico da trama que requer concentração, reflexão e solidão. Não há ninguém na foto, exceto o próprio Jesus Cristo. Ele foi deixado sozinho com o pecado da humanidade. No entanto, o brilho dourado diretamente acima de sua cabeça sugere uma Ressurreição rápida.


"A Crucificação" por Fra Angelico

A Crucificação  Fra Angelico
"A Crucificação" aprox. 1420, Fra Angelico

O pequeno painel de Fra Angelico de 1420, à primeira vista, inclui muitos elementos e figuras, mas os coloca em um espaço construído de forma mais metódica. Essa transformação na pintura reflete toda uma mudança e também preenche a cena com uma realidade elevada. Além disso, Fra Angelico amplifica as respostas emocionais das figuras em torno da cruz única de Cristo. Aqui, a Virgem Maria cai por terra, São João aperta suas mãos com força e os anjos choram a terra dourada e o céu. O semicírculo da platéia reflete a postura de indiferença, pena ou surpresa.


"A captura de Cristo" e outras obras de Caravaggio

O Beijo de Judas "A captura de Cristo" de Caravaggio
O Beijo de Judas "A captura de Cristo" de Caravaggio, c. 1602 / Foto: artcyclopedia.com

Caravaggio é conhecido por seu realismo dramático (ele usou como modelos pessoas da classe trabalhadora com rostos plebeus e pés sujos), bem como sua iluminação e composições igualmente intensas e teatrais. Aliás, as obras religiosas de Caravaggio se tornaram a base do filme de Mel Gibson, A Paixão de Cristo. O trabalho de Caravaggio inspirou o filme, tanto em termos dos rostos que usou nessas pinturas quanto em termos de claro-escuro. Existem muitas obras dedicadas ao tema da Paixão de Cristo. Por exemplo, a obra “A captura de Cristo”. Caravaggio o escreveu para o marquês romano Ciriaco Mattei em 1602. Oferecendo uma nova abordagem visual à história bíblica, Caravaggio posicionou as figuras bem próximas ao plano da pintura e utilizou o forte contraste de luz e escuridão, dando a esta cena um drama extraordinário. A tela tem todos os recursos

Caravaggio "O sepultamento de Cristo" (1603) / "Flagelação de Cristo" 1607
Caravaggio "O sepultamento de Cristo" (1603) / "Flagelação de Cristo" 1607

Assim, foram consideradas várias versões dos pintores sobre a história evangélica da Paixão de Cristo. Os artistas usaram diferentes técnicas, estilos, muitos refletiram sua visão individual de um tema religioso. Mas todas as versões estão unidas em sua mensagem para a humanidade - o alívio segue todo fardo.
Postagem Anterior Próxima Postagem