Exposição à radiação de Chernobyl testada em abelhas

radiação Chernobyl
FOTO: Mir24.tv / Igor Medvedev


Os níveis de radiação, que são oficialmente considerados seguros, podem ser fatais para os organismos vivos, descobriram cientistas europeus. Pesquisadores da Alemanha e da Suíça testaram como a radiação afeta os insetos e encontraram sinais claros de danos, de acordo com Proceedings of the Royal Society B

Como parte do experimento, a população de abelhas foi exposta à radiação, cujo nível correspondia ao da usina nuclear de Chernobyl. O trabalho foi realizado em condições de laboratório.

Descobriu-se que mesmo com uma dose convencionalmente segura, a taxa de reprodução das abelhas caiu 30-40%. O número de novas rainhas diminuiu e o crescimento da colônia diminuiu significativamente.

Como as abelhas são insetos polinizadores, a redução em seu número afetará todo o ecossistema. É perigoso para plantas e herbívoros que se alimentam deles.

Os níveis de radiação aos quais as abelhas foram expostas estavam acima da média. Mas era comparável ao que ocorre com vários procedimentos médicos.

“Nossas pesquisas mostram que os insetos que vivem nas áreas mais poluídas podem ser adversamente afetados, com a conseqüente ameaça a funções importantes dos ecossistemas, como a polinização”, enfatizam os autores do trabalho científico.

Os cientistas observaram que “os insetos sofrem efeitos adversos significativos em doses anteriormente consideradas seguras” e pediram uma revisão da estrutura internacional para proteção ambiental radiológica.


Postagem Anterior Próxima Postagem