Segredos da pintura mais misteriosa de Bosch: Os Sete Pecados Capitais e as Quatro Últimas Coisas


Os Sete Pecados Capitais e as Quatro Últimas Coisas
Hieronymus Bosch Os Sete Pecados Capitais e as Quatro Últimas Coisas

Um dos pintores mais famosos, cujas telas estão cheias de terror e presságios, é Hieronymus Bosch. Especialmente significativo é sua pintura "Os Sete Pecados Capitais e as Quatro Últimas Coisas", que está cheia de cenas alegóricas e símbolos. Vamos tentar descobrir?

Sobre o artista

Os Sete Pecados Capitais e as Quatro Últimas Coisas é uma pintura tradicionalmente atribuída a Hieronymus Bosch, pintada por volta de 1500. Hieronymus Bosch foi um artista extremamente talentoso, excêntrico e religioso na Holanda do século 15. O tema de suas pinturas consistia principalmente em advertências teológicas, que o artista habilmente transmitia por meio de cenas alegóricas e histórias da Bíblia. Seu patrono mais famoso foi o rei Filipe II da Espanha, que, estranhamente, estava muito interessado em pinturas instrutivas para seu povo. Naquela época e até o final do século 18, a arte serviu em parte como uma ferramenta eficaz para influenciar as massas, especialmente se essas fossem pinturas de um artista da corte.

Filipe II e seu Escorial (residência)
Filipe II e seu Escorial (residência)

Filipe II foi um colecionador de arte notável e influenciou significativamente as artes e a cultura na Espanha. O famoso Museu do Prado agora abriga muitas das obras de Bosch e outras coleções do rei.
Pouco se sabe sobre a vida pessoal de Bosch, mas seu trabalho é conhecido por suas representações ousadas e às vezes aterrorizantes. Seu estilo fantástico teve um grande impacto nos artistas do norte, e o seguidor mais famoso de Bosch é o pintor renascentista holandês Pieter Bruegel, o Velho.

Hieronymus Bosch
Hieronymus Bosch


O enredo da imagem

Incrivelmente, a obra-prima de Bosch que estamos examinando - "Os Sete Pecados Capitais e as Quatro Últimas Coisas" - foi concebida como uma peça de mobiliário para decorar o quarto do rei espanhol Filipe II.
A obra é uma série de pequenas cenas que representam pessoas comuns, cada uma das quais comete um dos pecados capitais sob o olhar atento de Cristo (representado no centro). Sua presença lembra o pecador do Juízo Final, mas eles teimosamente continuam com seus erros.

Hieronymus Bosch
Fragmentos


O simbolismo da imagem

Quatro pequenos círculos - as últimas quatro coisas (o que as pessoas encontram no final de sua vida terrena) - simbolizam "Morte de um pecador", "Juízo Final", "Inferno" e "Paraíso". Pequenos círculos cercam o maior, que descreve os sete pecados capitais. Isso é raiva (abaixo), então inveja no sentido horário, ganância, gula, desânimo, luxúria e orgulho. Todos os símbolos representam cenas da vida real, não alegorias.
O centro do grande círculo representa o olho de Deus (e também há uma "pupila" na qual você pode ver a imagem de Cristo saindo do túmulo). Abaixo está a inscrição em latim Cave Cave Deus Videt ("Medo, medo, porque o Senhor vê tudo").

Hieronymus Bosch Os Sete Pecados Capitais
Os Sete Pecados Capitais e as Quatro Últimas Coisas


Análise de cenas de tela

Cada cena da pintura retrata um pecado diferente.
- na cena com Orgulho, o vaidoso aristocrata se enfeita diante do espelho. Ela veste suas joias preciosas e suas melhores roupas para olhar seu reflexo repetidamente. E quem está ao lado dela? O demônio que a incita a se olhar no espelho repetidamente
- na cena com Raiva, um homem furioso, tendo brigado com um vizinho, vai matar uma mulher (assassinato como consequência da Raiva)
- o painel sobre Greed mostra um nobre rico subornando o juiz com um suborno para que ele agiu em seu favor e deu ordem para tirar todo o dinheiro e propriedade do camponês pobre,
- na cena com Envy, as pessoas são retratadas comprando coisas de que não precisam, simplesmente porque seus amigos compraram as mesmas coisas antes. Essa cena instrutiva deve ensinar as pessoas a se contentarem com o que já possuem e a evitar desejos desnecessários por ciúme. Os cães latindo aqui e o comerciante com o osso são figuras alegóricas que se referem ao velho provérbio holandês: "Dois cães com um osso raramente chegam a um acordo"
- no painel com Desânimo, uma freira não consegue acordar uma paroquiana preguiçosa de seu sono sem rumo. A mulher está profundamente adormecida, não demonstrando interesse pela igreja ou qualquer outra coisa além do sono. E, neste caso, apenas o Inferno espera por ela.
Os quatro pequenos círculos também têm detalhes interessantes. Por exemplo, em A morte de um pecador, a própria morte é representada na soleira junto com um anjo e um demônio, e o sacerdote já está dizendo suas últimas orações. Na cena do Juízo Final, Cristo é mostrado na glória, neste momento os anjos despertam os mortos, e no inferno os demônios torturam os pecadores.


Tramas de pecados
Tramas de pecados

Concordo, uma tela alegórica muito interessante. Só Bosch poderia criar uma imagem com uma composição incrível, moralizante, detalhamento meticuloso e temas alegóricos extremamente interessantes. Tudo isso compõe o estilo individual único do pintor holandês Hieronymus Bosch.
Postagem Anterior Próxima Postagem