Arqueólogos encontraram na Alemanha uma misteriosa tumba de mil e quinhentos anos

tumbaFOTO: MTRK MIR / Elena Andreeva

Na Alemanha, durante a preparação do terreno para a granja, encontraram o túmulo de uma pessoa nobre que viveu há 1.500 anos durante a Grande Migração. Segundo especialistas, esta é a descoberta mais importante do país nos últimos 40 anos, escreve o jornal Mitteldeutsche Zeitung.

Como observado, no centro de sepultamento, os cientistas descobriram um caldeirão de bronze, dentro do qual podem estar as cinzas do falecido.

“Ainda não encontramos seus restos mortais”, apontou a arqueóloga Suzanne Friedrich, do Museu de Pré-história de Halle.

Os esqueletos de seis mulheres jaziam ao lado do caldeirão. Eles podem ser as concubinas ou esposas do falecido. No entanto, ainda não se sabe se eles foram mortos especificamente para sepultamento ou se sacrificaram.

Os restos mortais de 11 animais também foram encontrados na tumba, incluindo cães, cavalos e gado. Tudo isso indica que uma pessoa de alto escalão foi enterrada aqui.

Os cientistas encontraram mais 60 sepulturas ao lado da tumba. O antigo cemitério, segundo especialistas, apareceu entre 480 e 530 DC após a queda de Roma. Muitas tribos germânicas invadiram territórios que não estavam mais sob a proteção dos romanos. Os túmulos também continham uma moeda de ouro representando o imperador Zeno, uma tigela de vidro, várias joias douradas, uma espada e um escudo feito de ferro e outros artefatos.

Postagem Anterior Próxima Postagem